ANJOS, F. C Fábio Cristovão dos Anjos. Tecnologia do Blogger.

Sim, seu desejo intenso por açúcar pode ser um vício

Provavelmente, você acha difícil comer apenas um M&M, certo? Doces açucarados acionam um sistema em nosso cérebro que inunda os neurônios com domapina. A incrível sensação nos leva a querer mais, mas a dopamina também é a origem das ânsias. É por isso que alguns cientistas hoje consideram o açúcar uma substância legitimamente viciante. 
(Foto: Thinkstock)
Mas o açúcar seria realmente como os cigarros, a cocaína ou o álcool? Um estudo recente, publicado na PLOS ONE, oferece evidências de que o açúcar pode mexer com seu cérebro tão poderosamente quanto as drogas. O mesmo estudo também sugere que as intervenções destinadas a tratar a dependência podem ajudar os viciados em açúcar a se libertarem da substância.
Pesquisadores da Queensland University of Technology, na Austrália, induziram o vício em ratos de laboratório em um processo que durou quatro semanas. Estes ratos desenvolveram uma tolerância à água doce durante este período de tempo, fazendo com que eles precisassem de mais e mais para se sentirem satisfeitos. (A tolerância é uma marca registrada do vício. É esta marca que os pesquisadores queriam encontrar.)
Uma vez viciados na água com açúcar, alguns ratos receberam uma droga destinada a tratar a dependência da nicotina em seres humanos, chamada vareniclina. Outros continuaram sua ingestão compulsiva. Os ratos medicados conseguiram se afastar do bebedouro cheio de água com açúcar com uma frequência maior e com mais facilidade do que os outros.
Eles também perderam o peso adquirido durante as quatro semanas de ingestão compulsiva de açúcar. Isso levou os pesquisadores a concluírem que o vício em açúcar é legítimo, mas pode ser tratado com drogas projetadas para reduzir ânsias por outras substâncias que causam dependência. “Mais estudos são necessários”, dizem os autores da pesquisa em um comunicado de imprensa, “mas nossos resultados sugerem que a vareniclina pode representar uma nova estratégia de tratamento no combate à obesidade”.
Resta saber se a vareniclina também seria útil para refrear nossa compulsão por outros tipos de alimento. Os pesquisadores continuam trabalhando no assunto.
Share on Google Plus

Sobre o autor Fábio Anjos

Biólogo Licenciado em Ciências Biológicas, pela Universidade Estadual Vale do Acaraú UVA-CE, Licenciatura Plena, 2010. Atualmente exerce a função de educador nível médio no Projeto Travessia na rede Estadual de Ensino, na Escola Estadual Nossa Senhora Auxiliadora e como também na rede municipal de João Alfredo. O mesmo possui Pós-graduação Lato Sensu em Análises Clínicas pela Faculdade Frassinetti do Recife-FAFIRE-PE, 2012. Cursando mestrado, pela Faculdade Norte do Paraná, no curso de Ciências da Educação e Multidisciplinaridade e cursando espanhol pela Universidade de Pernambuco.
    Comente
    Comentar com Facebook

0 comentários:

Postar um comentário