ANJOS, F. C Fábio Cristovão dos Anjos. Tecnologia do Blogger.

Cientistas encontram marcador que pode provar que ser gay é genético

Antes de qualquer coisa é importante deixar claro que esse tipo de dado só importa para quem não consegue respeitar que nem todo mundo é igual. Não seria necessário buscar provas de que uma pessoa nasce gay se não existisse quem cria histórias loucas como que todo gay foi abusado na infância, que casais gays criariam filhos gays e que é tudo culpa do lobby gayzista. Pessoas sãs apenas respeitam que cada um ama quem quiser e por quem sente amor. Simples assim. Seria algo apenas da ciência, mas virou uma questão de segurança para algumas pessoas. Como o mundo não é perfeito, vamos lá.
É um primeiro passo. E a ciência, amigos, anda a passos de bebê, então contentem-se com o primeiro deles. Um estudo feito na Universidade da Califórnia conseguiu encontrar marcadores genéticos que diferenciam homens gays e homens hétero – quem se importa com as mulheres, né? Os testes foram feitos com pares de gêmeos em que um deles é gay e o outro não, além de também ter analisado pares de gêmeos hétero.
Entre os 37 pares em que uma das pessoas era gay foi encontrado um grupo de cinco marcadores apenas no gêmeo gay. Com essa análise eles conseguiram acertam quem era gay em 67% dos casos. Passos de bebê. Essa é uma pista que pode levar a algo maior, mas ainda é um começo e as coisas na ciência, como eu já expliquei anteriormente, não acontecem da noite para o dia.
Você pode ler mais sobre o estudo na página do Nature, um respeitado jornal científico.
Há diversas questões que precisariam ser levadas em conta nesses próximos passos? Claro. Seria importante a gente entender, antes de tudo, que na sexualidade não existe apenas o gay e o hétero? Sim. Existem muitas nuances entre uma coisa e outra, mas o ser humano insiste em ser binário e classificar tudo de maneira de ele não precise se esforçar muito mais entender. O mundo não é uma caixa de lápis de cor apenas com dois tons, ele é uma daquelas caixas com mais de 300 nuances que você nem imaginava que podiam existir. Além disso, nem todo mundo que é gay conseguiu olhar para si mesmo e saber, de verdade, que é gay – porque a sociedade faz com que as pessoas tenham medo disso e dos efeitos dessa descoberta, né -, então a amostragem pode ser bastante contaminada.
Esse é um estudo que não deveria precisar ser feito, mas quanto mais a onda conservadora cresce, louca para acender a fogueira e queimar bruxas, gays e ateus como nos velhos tempos, mais é necessário encontrar evidências de que não é possível escolher quem se ama – e se você escolheu racionalmente uma pessoa para amar tem algo muito estranho aí.
Share on Google Plus

Sobre o autor Fábio Anjos

Biólogo Licenciado em Ciências Biológicas, pela Universidade Estadual Vale do Acaraú UVA-CE, Licenciatura Plena, 2010. Atualmente exerce a função de educador nível médio no Projeto Travessia na rede Estadual de Ensino, na Escola Estadual Nossa Senhora Auxiliadora e como também na rede municipal de João Alfredo. O mesmo possui Pós-graduação Lato Sensu em Análises Clínicas pela Faculdade Frassinetti do Recife-FAFIRE-PE, 2012. Cursando mestrado, pela Faculdade Norte do Paraná, no curso de Ciências da Educação e Multidisciplinaridade e cursando espanhol pela Universidade de Pernambuco.
    Comente
    Comentar com Facebook

0 comentários:

Postar um comentário