ANJOS, F. C Fábio Cristovão dos Anjos. Tecnologia do Blogger.

FALA AÊ com a profª de dança ELIZÂNGELA FIGUEIRÊDO & também profº EDUARDO SOARES


Fábio Anjos: Quem é você?

Elizângela:Sou a Elizângela Chagas de Figueirêdo tenho 21 anos ,moro em Recife-PE ,moro com meus pais e irmãos ,sou bailarina clássica do stúdio de danças-recife pe , baliza da banda marcial ageu magalhães de casa amarela,onde tenho vários títulos pernambucano e norte e nordeste sendo eles :Tetra campeã pernambucana ,penta campeã norte e nordeste e campeã nacional na antiga categoria que era fanfarra com 1  pisto , na categoria atual sou campeã da 1° etapa da IV copa pernambucana de bandas e fanfarras, professora de ballet infantil e adulto iniciantes/iniciados, entrei recentemente na dança de salão onde estou amando cada vez mais a dança e futura educadora física sempre gostei de esportes.

Eduardo:Olá, sua Eduardo Soares tenho 26 anos, 70 Kg e 1,70m de altura, educador físico atuando na área das danças tanto populares quanto clássicas, principalmente danças de salão. Resido atualmente só, na Vila da fabrica em Camaragibe – Recife.

Fábio Anjos: Como despertou o interesse pela profissão?

Elizângela: Bom, desde pequena sempre gostei de dançar lembro que reunia amigas e primas no salão do prédio e lá eu sempre era a professora delas e ensinava coreografias tais como : é o tchan, calypso ,rouge, babado novo entre outras que não me vem na lembrança agora, mais essas foram as principais, ah como era bom ! Sempre aprendi rápido as danças, tinha uns amigos do meu irmão mais velhos que me chamavam pra dançar forro com eles e eu pequenina ia rsrsrs e pegava super rápido os passos a parti daí comecei a ensinar passos básicos do forró para minhas primas e ficavamos sempre treinando... Aah o Ballet Clássico, como é belo ! Quando passava aquelas lindas bailarinas na ponta dos pés e com seus tutu bandeja um mais lindo que o outro eu não piscava para não perder nenhum detalhe de sua linda dança e sempre dizia a minha mãe que queria fazer ballet e ser igual aquelas belas moças bailarinas , mais infelizmente não comecei tão cedo tive que esperar até os 13 anos e é ai onde entra a questão de ser uma baliza que não deixa de ser uma bailarina também , mais ai que pra assumir o cargo de baliza da banda eu tinha que fazer alguma aula de dança ou gr(ginástica ritmíca) e foi ai que minha mãe procurou uma escola mais próximo a minha residência e me matriculou ,realizando dois sonhos de uma só vez que era ser bailarina clássica e baliza de banda marcial , mais não para por aqui ...Também sou um pouquinho ginasta rsrs sempre aos sábados tem aula de Gr na escola dom vital e quando posso estou lá treinando com outras balizas e balizadores. 

Eduardo: Bem, já dançava aos 15 anos de idade, como couvert de Michael Jackson, no ensino médio, me com outras danças como o forró, e através do meu professor de geografia que me viu dançar, me levou para ser bolsista de uma escola de dança de salão. E lá desenvolvi trabalhos coreográficos, e por me destacar, comecei a auxiliar professoras em algumas aulas. Aparte disso, assumir turmas e me apaixonar cada vez mais na arte de ensinar. 

Fábio Anjos: Como seus pais aceitaram essa decisão?

Elizângela: Minha mãe sempre foi a favor e via que eu tinha o dom da dança , já meu pai não concordava muito com isso ele sempre dizia que gastava muito comigo no ballet e que não dava futuro nenhum e queria me tirar de todo jeito , nunca foi assistir nenhum espetáculo meu durante 7  anos , sinto muito por isso ... foi pela minha mãe que eu continuei até hoje e ela não falta nenhum espetáculo , lembro bem do meu primeiro espetáculo 1 hora antes de começar chega minha professora e diz que minha irmã pediu pra me avisar que minha mãe tinha sofrido um acidente o carro tinha batido  nela mais não falou que ela estava bem e  que já estava na plateia me aguardando , e como tudo é muito corrido momentos antes da apresentação minha professora passou tudo muito rápido pra mim e eu fiquei muito nervosa comecei a chorar e disse que não ia mais dançar pois queria ir ver minha mãe , ai elas ficaram super nervosas também ao me ver naquele estado e foram a procura da minha irmã na plateia e falou o que tava se passando lá dentro no camarim , daí foi liberada a entrada das duas e quando vi minha mãe com o rosto inchado e um lado roxo a mão enfaixada me desesperei mais ainda , mais ela me acalmou e disse que tava tudo bem só tinha quebrado o dedo e o rosto foi o impacto quando ela caiu no chão , fui me acalmando e entrei no palco bem confiante e dei o meu máximo pois minha mãe estava ali acidentada e mesmo assim foi me assistir , fiquei muito nervosa porem feliz no final de tudo ! Hoje meu pai já não fala mais nada aceitou , pois viu sim que dá futuro estou dando aulas e mais aulas graças a deus ganhando meu próprio dinheiro e não dependendo mais do dinheiro dele nem da minha mãe .

Eduardo: No incio foi difícil, mais quando Deus tem um proposito nas nossas vidas, e acreditarmos nisso, nunca podemos parar e sim, persistir. Para eles, não se tenha como se ver retorno financeiro,
mais ao longo do tempo eles começaram a entender que nós fazemos nossa profissão, através do estudo, garra e dedicação. Hoje são felizes por me verem fazer da minha arte, a minha profissão. 

Fábio Anjos: Como é a dedicações, os treinos e a alimentação?

Elizângela: Muita dedicação , muito treino e a alimentação super regulada . Vivo mais no ballet do que em casa lá vai um pouco de minha rotina  dou aula nas segundas e quartas pela manha 2 turmas no ur 07 várzea , saindo de lá vou para minha aula no stúdio de danças nas graças de 16:30 ás 18:00 e quando não estou muito cansada fico mais um pouco na aula com a turma avançada das 18:00 ás 19:30 onde faço nas segundas,quartas e sextas , chego em casa tomo um banho ,janto e vou para dança de salão das 20:30 ás 22:00 . Nas terças e quintas dou aula pela tarde e noite em lugares diferentes ,saio as 15:30 e só chego as 22:00 em casa . E nos sábados , pela manhã também dou aula e pela tarde tenho o ensaio com a banda marcial até a noite , quando posso falto e compareço as aulas de dança de salão ...A dedicação é 100% e quando se ama o que faz é melhor ainda , e sobre alimentação nada de gorduras ,carboidratos,refrigerantes nada de besteiras!

Eduardo: Regrados, Tudo na hora certa para termos um bom resultado. Dedicamos aos estudos tanto parte pratica, a biomecânica do movimento apurado e a teoria, parte corporal cultural da dança em si no treino, e dieta reca em fibras para manutenção do peso corporal. 

Fábio Anjos: Qual a reação das pessoas quando sabe da sua profissão?

Elizângela: Perguntam logo se dar dinheiro, outras ficam super felizes ao ver que me tornei no que eu sou hoje , outras menosprezam mais eu nem ligo , cada um tem a sua profissão Deus te dá um dom e você segue ...

Eduardo: Quando nos dedicamos ao nosso trabalho em querer realiza-lo com sucesso, ou seja, fazermos nosso nome no mercado, as pessoas ao saber, tem uma visão deferente, a respeito do produto ou serviço prestado. Mais quando não conhece, realmente ficam com o pé atrás, e se tratando de prática alternativa como, musica, teatro, dança, etc... que para nós artistas da profissão, sabemos o quanto é difícil sermos bons, ai vem uns preconceitos bestas em ralação as artes, por ex: não quer estudar! É homoafetivo! Etc.

Fábio Anjos: Qual o ritmo que você mais curte dançar? 

Elizângela: Rapaz... eu sempre gostei de todos, mais o que eu mais amo é o clássico e agora gostando muito do bolero e tango, são os que mais combinam comigo.

Eduardo: Adoro o Samba de Gafeira! Por ser o ritmos mais difícil das Danças de salão. Pela complexidade dos ritmo que varia! 

Fábio Anjos: E o assedio?

Elizângela: Aaah o assedio! Sempre rola num tem como fugir , é por todas as idades  mais sabemos bem lidar com isso pois estamos trabalhando e não podemos misturar.

Eduardo: Muito! Quando chega a ficar pesado, chamo a atenção mesmo, ai evito aproximação!

Fábio Anjos: E o ciumes do (a) parceiro (a)?

Elizângela: Anteriormente, relacionamentos passados tive muito problema com ciumes pois eles não aceitavam esse tal assedio , elogios e tal ... Mais atualmente estou com um artista também e nos entendemos muito bem, era o que faltava em minha vida um artista rsrsrs.

Eduardo: Tranquila demais, assim porque ela também e da área. Então separamos bem as coisa, levamos a serio a nossa profissão, já que no mundo se tem muitos preconceitos, então temos que quebrar isso. 

Fábio Anjos: Uma vez que você é bailarino profissional, como é pra você ir a uma balada só pra curtir? dançar nestas ocasiões é mais ou menos divertido?

Elizângela: Na verdade eu nem saio muito , pois o tempo que as vezes me resta eu aproveito pra dar uma descansada legal e cuidar um pouco de miim ... mais quando saio eu me jogo quero dançar a noite inteira sem parar me divertir muito.

Eduardo: Quero, danço com muita gente. Haa saiu mesmo para curtir. Dançar pra mim, e é muito divertido! Me jogo, faço o que bem

Fábio Anjos: Você tem algum ídolo na dança?

Elizângela:Sim , vários . A diva Anna Botafogo , Svetlana Zakarova ,Cecilia Kerche , Aneska França, Flávio Salamanka e meu amor que é o maior de todos que me ensina com muito carinho Eduardo Soares.

Eduardo: Sim, meu mestre Jaime Aroxa. Hoje sou este professor por causa dele, da sua teoria de vida!

Fábio Anjos: Já fez alguma apresentação fora no Brasil?

Elizângela:Ainda não , mais um dia chego lá!

Eduardo: Não. Um dia espero fazer! 

Fábio Anjos: Quais são seus planos para o futuro próximo?

Elizângela: Me formar em Educação Física, Dança ser uma excelente profissional e abrir meu proprio studio de dança.

Eduardo: Abrir a minha escola de dança, em uma cidade carente de arte, proporcionando, bem estar social, mental e fisiológico/saúde!

Fábio Anjos: - Mande uma mensagem para as pessoas que estão começando agora na dança.

Elizângela:O mundo da dança é maravilhoso , ser artista é bom demais ! Se dedique ao máximo ,procure se informar de tudo nada na vida é facil , terá varios e varios obstáculos mais pule todos com muita fé , foco e determinação se isso é o que realmente você quer para sua vida.

Eduardo: Que desfrutem o máximo desta arte maravilhoso, que mudou minha vida, e com certeza mudara as suas também, na saúde, no psicológico, no social... e claro, para você jovem que esta e ama a arte, seja ela qual for, persista, por que você nasceu pra ela.

Fábio Anjos:Quem foi você antes da dança e o hoje?

Elizângela:Antes da dança eu não era nada , agora eu sou tudo estava faltando ela pra me completar . Afinal quem dança é mais feliz !!!

Eduardo: Uma pessoa sem amigos, calado, vivia com minhas mulheres, mãe, tia e vó. Em casa sem um destino, e na vinda dela, encontrei a liberdade de expressão através da dança mãe, que me ensinou através dos seus passos dentro das cadencias, rápida quando era pra agir com firmeza, e lenta, para pensar na forma de agir... Hoje me encontro uma pessoa popular, amigo, feliz, realizado profissionalmente. Obrigado Dança. 

Share on Google Plus

Sobre o autor Fábio Anjos

Biólogo Licenciado em Ciências Biológicas, pela Universidade Estadual Vale do Acaraú UVA-CE, Licenciatura Plena, 2010. Atualmente exerce a função de educador nível médio no Projeto Travessia na rede Estadual de Ensino, na Escola Estadual Nossa Senhora Auxiliadora e como também na rede municipal de João Alfredo. O mesmo possui Pós-graduação Lato Sensu em Análises Clínicas pela Faculdade Frassinetti do Recife-FAFIRE-PE, 2012. Cursando mestrado, pela Faculdade Norte do Paraná, no curso de Ciências da Educação e Multidisciplinaridade e cursando espanhol pela Universidade de Pernambuco.
    Comente
    Comentar com Facebook

0 comentários:

Postar um comentário